Fazer o que gosto ou fazer o que me dá dinheiro?

18 de agosto de 2013

 É uma época muito difícil e estressante quando se chega o vestibular. Fiquei louca quando entrei no terceiro ano do Ensino Médio, aos 15 anos e me vendo diante a uma situação em que deveria escolher algo que executaria o resto da minha vida. Quando pequena, era louca por animais e só por esse fato achava Medicina Veterinária feita para mim. Porém, cresci, e vi que não me encaixava em outra área além das Humanas. Gostava de conversar, de me relacionar com as pessoas e amava a leitura. Pronto. Faria Direito, afinal, é sempre bom unir o que gostamos com o dinheiro, e i$$o e me fez querer Direito nos primeiros meses do meu "terceirão".


Com o passar do tempo, minhas notas em Redação eram exorbitantes e a cada dia que passava me aperfeiçoava na fotografia. Sabia, naquela época, que algo na área de Comunicação Social era para mim. Aí que me vi dividida entre o Jornalismo e a Publicidade e Propaganda. Mas no meio disso tudo, tinha eu. Tinha eu e uma cabeça confusa de uma menina que, na altura do campeonato, acabara de fazer 16 anos e se via próxima a inscrição do vestibular. Parecia um peixe fora d'água, existiam vários cursos disponíveis para mim e nenhum eu me encaixava. Que coisa era essa??

Com a leitura, descobri algo interessante, chamado Empreendedorismo. Deixava as listas de física para assistir palestras da Endeavor no YouTube. Meu coração disparava ao ouvir história de empresas com Dudalina, Cacau Show e China in Box. Era tudo tão mágico... E tão brilhante a ideia daqueles loucos, daqueles que um dia acreditaram nas suas próprias loucuras e hoje estão onde estão. Pronto, me encontrei naquelas palavras de empreendedores em que sempre traziam a mesma essência "acredite em você, sempre". Foi quando decidi pela Administração e estou nela até hoje. Quando falam do curso, eu sou a primeira a opinar, se deixassem, ficaria horas e horas discutindo sobre técnicas de Marketing e Vendas, por exemplo. Eu não vejo como uma obrigação, vejo como algo que preenche minha vida.



E, se você, está indo para um curso apenas pelo dinheiro, gostaria de dizer que: existem pessoas que fazem Medicina e não conseguem concluir suas residências, ou pessoas que fazem Direito e não passam na OAB*, por exemplo. Assim como existem fotógrafos fantásticos, professores de Física renomados. Não acredite que uma profissão pode fazer você, é você que constrói sua profissão. Dinheiro não é nada no mundo. Dinheiro é apenas uma consequência da sua dedicação ao seu trabalho. É clichê mas funciona: siga teu coração. 

Gostaria de deixar alguns videozinhos para vocês! O primeiro é do canal EU FICO LOKO! que retrata sobre a ilusão do dinheiro fácil e o segundo é um vídeo motivacional que sempre vejo. E é isso, um boa escolha para vocês!!





*Não critiquei nenhuma profissão. Admiro profissionais que fazem o que fazem pela paixão, não pelo dinheiro.


7 comentários:

  1. Esse assunto é bem difícil de se falar da minha opinião. Mas EU ACHO que a pessoa tem que fazer o que ela gosta, é ou ficar pensando se vai dar dinheiro ou não.
    Porque se ela fazer o que ela gosta, ela pode ganhar muito dinheiro com isso.

    Stefany e Ponto
    Fanpage Stefany e Ponto
    Grupo Refúgio de Blogueiros
    Canal no Youtube

    *BR

    ResponderExcluir
  2. Eu desde sempre queria ser veterinária, porém no meu segundo ano que estou cursando ainda do colegial, ja mudei mais de mil vezes, e gosto de farmácia, mais estou gostando muito de administração, então ano que vem terei que me decidir, rs
    Ah, se o chuveiro lavasse a alma

    BR*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu, claro, te recomendaria Administração! Hehehehe

      Excluir
  3. Sou do time de quem acha que o profissional que vc vai ser só depende vc :) mas eu ainda nao decidi o que quero fazer ainda :(

    bjs;
    Desconstruindo Amélias

    ResponderExcluir
  4. Oiii Giovanna! Tudo bem? Esse é um assunto muito delicado pra mim. Optei pela faculdade por amor. Sempre me vi dividida entre Jornalismo, Psicologia ou Direito.. mas o Direito sempre falava mais alto. Pronto, era isso! Fiz Direito e AMEEEEIIII a faculdade, mas todo mundo tem que saber que não é um mar de rosas. Por gostar muito sempre fui excelente aluna, passei na OAB ainda antes de me formar, mas mesmo assim me deparei com um mercado de trabalho completamente saturado! Ano após ano as faculdades liberam mais e mais bacharéis em direito, e muitos optaram pelo curso por causa do $ que imaginam que vão ter... e não por amor. Não é assim, você não vai sair da faculdade ganhando rios de dinheiro. A carreira do advogado é construída aos poucos quando você ainda vai construindo o seu nome e mostrando o seu trabalho. No começo a grande maioria ganhará muito menos do que esperava ganhar. Quem opta pelo concurso público encontra ainda mais desafios, os concursos estão ficando cada vez mais concorridos e muitos possuem 5 fases e pedem 3 anos de experiência jurídica antes de prestá-lo. Enfim... peço desculpas e licença para aproveitar o seu espaço e falar da importância de escolher sua carreira pelo amor e não pelo dinheiro, porque é o amor que vai fazer você querer crescer e conquistar o seu espaço em meio aos inúmeros profissionais que disputam mercado com você! Eu amo o Direito e continuo sempre na luta, bom saber que você também ama o que faz!

    Parabéns pela postagem e sucesso na carreira!

    Beijos,

    Mari - BR

    cantinhodeleituradamari.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha aí, Mari! Um exemplo de que não devemos fazer algo que achamos que vai dar dinheiro e só. Parabéns por seguir teu coração, aposto que não se arrependeu.

      Excluir

 
Perspectiva Criativa - 2015 voltar para o topo design e código por gabi